domingo, 17 de junho de 2012

liberdade

Chagall, Création



não me digas que não queres a liberdade
não me digas que estar livre é estar vazio
olha a força da água da nascente
olha a água que no copo está inerte

em abril, ergue braços
estoira muros
bebe o vinho faz o brinde
à liberdade
e faz versos onde rime a dignidade


sexta-feira, 2 de março de 2012

Adamastor

A. O. Wolfgang Schulze (Wols)



grande e duro
como um Adamastor
te ergues fixo
ante os olhos meus

e as lágrimas me correm
em redor do teu corpo
e ficas ilha
de olhos no silêncio
e petrificados


quarta-feira, 30 de novembro de 2011

na Gulbenkian, California Dreaming

Jean-François Millet

cenário noturno
a folhagem verde das árvores
luminosas no jardim
prateada a chuva
pincela o quadro
cai uma folha outra outra
douradas estrelas cadentes
pássaros metálicos que passam lépidos

no palco a maestrina
negra águia
vibrante e ágil
dança frenética de um bater de asas
comanda o mundo
a orquestra
os exércitos de violinos violões violoncelos
flautas trombetas trombones
os sons concertados deste mundo
firmes agudos amestrados
por forças invisíveis
disparadas
da mágica frágil batuta
imparável
na mão da maestrina




segunda-feira, 26 de setembro de 2011

assustam-me as palavras




 assustam-me as palavras
dos loucos
que ouço nas ruas

são palavras de poemas
amachucados
em folhas rasgadas
dispersas   ao vento


quarta-feira, 14 de setembro de 2011

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

quantas histórias vão

Fotografia de Jamie Beck - Blog FROM ME TO YOU http://fromme-toyou.tumblr.com/


(em memória do Jorge)


quantas histórias vão
em cada homem que morre

e os que ouvem os sinos de rebate
nada sabem

sábado, 9 de julho de 2011

a criação

fotografia de Jamie Beck



a criação
é a última etapa
do amor

o altar
por cima de todos
os deuses

a fidelidade
expurgada
das paixões impuras



terça-feira, 5 de julho de 2011

o amante ridículo

Fotografia de Jamie Beck



oh, o meu amante ridículo
o mais ridículo de todos os meus amantes

quiçá será ele
porque é o meu amante
e o meu ridículo
o salvador   da grande humanidade


domingo, 19 de junho de 2011

no princípio de tudo


Jamie Brck mulher com globo terrestre
   ( Fotografia de Jamie Beck)


fiquei de súbito
no princípio de tudo
quando ia já velha e cansada
por caminhos gastos

o princípio é o lugar único
de onde não vejo o mundo
toco-o num beijo
bem no fundo


terça-feira, 31 de maio de 2011

Campo de Ourique. o bairro






um bairro que se mastiga às fatias
como um bolo morno
que a cozinheira bateu demoradamente
voluptuosamente

cafés esplanadas casas de comida
rostos mitigados
lassos âncorados
donos de um valor
um bairro traçado
a esquadro e transferidor
bairro quadriculado
onde casas de barro
multiplicam tons do amarelado



Campo de Ourique ecoa a vitória
de Afonso Henriques
Rei de Portugal
e de Santiago santo Matamouros
os sinos tocam
em Santo Condestável
e a poesia espreita
na Casa de Pessoa


no mercado há cores
de frutos e flores
e a prata dos peixes
e o ouro dos pregões
brilham no tesouro
com as pérolas louras
do colar da senhora
a Tentadora

                                        

e a Arte Nova
e a esfera armilar
e a República e a primeira granada
que aqui se fez soar
e a Maria da Fonte
que ergue a foice
e afasta os papões
porque as crianças 
brincam descuidadas
e os velhos no jardim
fazem jus ao jogo
e à hora das cartadas







quarta-feira, 25 de maio de 2011

estava frio




Jamie Beck
        Fotografia de Jamie Beck





estava frio
à nossa volta

e as palavras
que saíram em vertigem
ensurdeceram
os póros
e retiveram
os nossos corações


terça-feira, 24 de maio de 2011

em tardes assim





em tardes assim
de maios como este
olhávamos longamente a terra e o horizonte
separados por casas e ruas
mas ali, à mesma hora
aguardando o rubro desaparecimento do sol
avistando a silhueta desejada nos reflexos do poente
sentindo a paixão na distância das coisas e das cores

foi o tempo da adolescência
de tudo o que se não fez...


sábado, 21 de maio de 2011

o tomate



Jamie Beck 7
                                  Fotografia de Jamie Beck




adoro o tomate
o legume o vegetal
o vermelho húmido que arrepia
que extasia
no Paraíso Eva mordeu o tomate
e foi então
que viu Adão
e o amor lhe brotou rubro
vermelho no coração





sexta-feira, 20 de maio de 2011

o encanto



Brukutu_com-22 jamie beck 3
          Fotografia de Jamie Beck



o encanto
de saber ainda
encontrar as sensualidades
nos cantos contados
de uma cidade grande



sessão de poesia. sala vazia




sessão de poesia. sala vazia
cadeira a cadeira sala vazia
de negro coberto o piano negro
poetas estão poetas vêm poetas vão
estão computadores
jovens informáticos
fotógrafos estão
às cinco em ponto seria a sessão
cinco menos dez cinco menos cinco
eu não sou poeta
sento-me na sala
aguardo a sessão
estou no meio da sala
mas que faço eu que embaraço o meu
sessão de poesia
cadeira a cadeira a sala vazia
público não chega
vem mais um poeta
passou bem poeta
às cinco em ponto seria a sessão
passam cinco e cinco
e ainda mais cinco
estou no meio da sala da sala vazia
abriram as luzes abriram os olhos
dos poetas tantos
o público entra ou não entra não
brilham os cristais os cálices de absinto
quem virá brindar e comemorar
vêm mais fotógrafos
montam os tripés
no fundo da sala surge uma pessoa
e outra pessoa e outra pessoa
a tarde vai longa
começa a sessão
venha o absinto e a poesia
regar o serão