segunda-feira, 15 de março de 2010

o baloiço de Effi Briest


(com o filme de Fassbinder)


o baloiço de Effi Briest
leva o branco vestido
de mitos de prados
húmidos aveludados
de amores silvestres
e inquietas mimosas

as meninas
e os seus baloiços quebrados
não choram

os baloiços de todas as meninas
quebraram-se em manhãs doiradas
e esconderam-se em sótãos
de histórias inefáveis

2 comentários:

  1. O obscuro desejo do infinito, do "parecer" e não do "ser".
    F. A.

    ResponderEliminar
  2. E o prazer da poesia, obviamente!!

    Um grande abraço.

    ResponderEliminar