sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

a desordem

(Salvador Dalí)



ah, a organização
dos incómodos
que decorrem do interior
transformar a guerra, a agressão
mudar o rosto ao rosto
que se dilacera, frágil
fazer a gostosa simpatia calma

o vento que varra 
a areia suja
da ignorância e da dor




Sem comentários:

Enviar um comentário